Breve análise sobre a Revolução Russa de 1917

Kustodiev, The Bolshevik.

Kustodiev The Bolshevik.

Dentre os acontecimentos mais relevantes do Século XX está a Revolução Russa de 1917. Movimento este que ocasionou uma mudança significativa no sistema político, econômico e social dos russos que até então encontravam-se sob o jugo da era czarista há exaustivos trezentos anos onde seu governo era baseado na defesa dogmática dos valores da monarquia absolutista a partir da teoria do Direito Divino dos Reis oriunda do pensamento francês de Jacques Bossuet (1627-1704).

Assim, em pleno Século XX, a Rússia estava em uma situação de anacronismo em razão de que as mais importantes nações europeias, especialmente a Inglaterra e a França, respectivamente nos Séculos XVII e XVIII, já haviam se distanciado do sistema monárquico absolutista. Por conseguinte, essa situação tornou crítica a situação pela qual a Rússia se afundava até sua decadência também em função da guerra Russo-nipônica, da Primeira Guerra Mundial (que lhe causou instabilidade, sofrimento, fome e desorganização interna) e da existência de vários opositores que defendiam idéias trabalhistas e condenavam o Czar Nicolau II, nessa época apelidado de “Nicolau, o sanguinário”.

Em fevereiro de 1917, tais motivos impulsionaram militantes considerados marxistas ortodoxos já que acreditavam no impulsionamento do comunismo a partir de uma fase transitória do capitalismo para o comunismo, os chamando mencheviques, a assumirem o poder no lugar de Nicolau II, que não possuía qualquer vocação política e já no início do seu reinado havia questionado: “O que será de mim e da Rússia? Eu não estou preparado para ser czar e nunca o quis ser. Não percebo nada dos negócios do governo. Sequer sei como hei de falar com os ministros”.

Dessa maneira, sob o comando de Kerenski, os mencheviques instalaram um governo republicano provisório e continuaram mantendo a Rússia na Primeira Guerra, perdendo por isso o apoio da população que não aprovava tal decisão. Neste mesmo momento, consta que o frio e calculista Vladimir Ilitch Lênin, até então exilado, fora liberto. Retornando à Moscou, Lênin, com a firme intenção de instalar o primeiro regime comunista da humanidade em toda a Rússia, contrariou as expectativas de Karl Marx. Se por um lado o primeiro marxista imaginava que o sua proposta seria realizada primeiramente em um país industrializado, imperava em Moscou o seu legado.

Lênin publicou as “Teses de Abril”, tendo como princípios fundamentais: paz, pão, terra e todo o poder aos sovietes, e, a partir disso, houve uma boa adesão à “causa revolucionária” de modo que, já em outubro de 1917, ocorreu a Revolução dos bolcheviques onde Lênin se intitulou o “chefe do conselho dos comissários do povo” também chamado de presidente. Várias foram as conseqüências geradas a partir desta revolução, entre elas:

  • A Rússia e seus países vizinhos passaram a ser chamados de URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas).
  • A extinção da propriedade privada.
  • A estatização de bancos e indústrias.
  • Extensas mudanças nos valores morais, sociais e religiosos – é preciso ressaltar que a fé dos russos na Igreja Ortodoxa e encontrava bastante desprezada, ocasionando assim a perseguição e morte de vários religiosos.
  • O fuzilamento da família real, com destaque para o assassinato da esposa, de suas quatro filhas e do único filho do Czar – vale frisar que esses detalhes macabros foram omitidos pelo governo bolchevique, pois estes afirmavam que apenas o Czar tinha sido assassinado.
  • A guerra civil ente os bolcheviques e os seus opositores, causando uma enorme degradação para o povo russo, que ficou sujeito à fome devido principalmente ao “comunismo de guerra”, que confiscou grande parte da produção agrícola para alimentar e facilitar a vitória dos bolcheviques
  • Um regime de terror do governo bolchevique – aproximadamente 20 milhões de pessoas foram mortas por serem contra o regime comunista principalmente durante o governo de Josef Stálin, que governou a URSS entre 1924 e 1953.

Nota-se, portanto, que o regime socialista dos bolcheviques foi responsável por rupturas em todos os setores sociais da Rússia, causando literalmente uma autêntica revolução, utilizando-se principalmente da violência para impor e estabelecer a “Ditadura do Proletariado”. Logo, conclui-se que, se o regime czarista era insensível aos anseios da população, os bolcheviques foram, com toda a certeza, dez mil vezes mais impiedosos.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categoria: História

Sobre o(a) Autor(a) ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas