Consciência

| 19/06/2016 | 0 Comentários

A consciência de estar vivo,
As conclusões de tudo isso,
O tempo indo embora…
Tudo isso me apavora!

O semblante de cada rosto,
A diferença de  cada gosto,
A felicidade que demora…
Tudo isso me apavora!

Os filósofos aposentados,
Os mágicos internados
A fé que nisso aflora…
Tudo isso me apavora.

O ADEUS DE UM AMIGO,
A CRUZ DE ALGUM CRISTO,
O MEDO DE ESTAR VIVO
TUDO ISSO ME APAVORA!

O VAZIO QUE PREENCHE O MUNDO,
O BRILHO NO OLHAR DO DEFUNTO,
O DEUS QUE SE FAZ DE CEGO E SURDO
TUDO ISSO, TUDO ISSO, É TUDO ISSO…

Não faz nenhum sentido pra mim.

A minha vida é fácil de escrever;
A Criança que fui fez perguntas,
O adolescente que me tornei tentou responder,
E O HOMEM QUE ESTOU ME TORNANDO DECIDIRÁ ESQUECER…

Pois tudo isso, tudo, TUDO ISSO…

Me apavora!

Mas não é de medo que me nutro,
Não é de anseio que me cubro,
Não é do desespero que faço uso.

É apenas a consciência de não ser,
É apenas a falta de perder,
O diabo que vem me dizer;

Que a única lógica pra estar vivo É MORRER!

Categoria: Sem categoria

Sobre o(a) Autor(a) ()

Eu acredito na vida, por conseguinte; na morte, acredito em espíritos, na inexistência da existência de Deus, acredito que existem monstros no armário, eu acredito na beleza, e choro diante dela. Quanto a definição de quem sou, que importa dizer o que faço sem antes denunciar o que penso? Dedico aqui uma boa parte de mim; pois eu acredito no que escrevo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas