A lectio escolástica e a leitura em nossos dias

lectioEnquanto a maioria dos brasileiros lê mal, o modo como uma lectio se estruturava na escolástica decerto é invejável. Vejamos: ela perpassava por quatro fases: i. leitura em voz alta de uma seção de texto; ii. apresentação, divisão e destaque da estrutura e principais partes do texto; iii. exposição de cada uma dessas partes com maior ênfase nas passagens obscuras; iv. discussão em detalhe dos trechos importantes e obscuros previamente selecionados, normalmente seguindo a forma de uma quaestio.
.
Que a efetividade deste método é evidente nós podemos assegurar, afinal, ela praticamente garantia aos universitários medievais um adendo até o limite de um texto. É evidente também que a lectio assegurava clareza e compreensão, ao contrário do que vemos hodiernamente. Poucas são as escolas e/ou universidades que hoje “estudam o estudar”, ou melhor, que promovem ao educando alguma coisa próxima a uma boa lectio. Por conseguinte, no Brasil atual, temos leitores que raramente têm ciência do que leram ou muitas vezes acreditam em todo o conteúdo lido sem qualquer crítica proficiente, ou pior: não são capazes de debater o lido – isso inclusive no curso de Filosofia.
.
Contudo, é preciso atentar para o seguinte: apesar da lectio escolástica ser um excelente método de leitura, o modo como ela foi aplicada denotou uma série de problemas. Em primeiro lugar, ela refletiu na dependência quase exclusiva da filosofia aos livros, doravante, em contraste com a vivência grega e patrística, o filosofar deixou de ser um modo de vida e a própria teologia se reduziu à hermenêutica. Nesse sentido, para concluir, podemos perceber o quanto mesmo um bom método de leitura, se aplicado de modo imperfeito, nos pode limitar ao invés de edificar.

Tags: , , , , , ,

Categoria: Filosofia Medieval, Pedagogia, Pedagogia e aprendizagem filosófica

Sobre o(a) Autor(a) ()

Estudante de Filosofia (Universidade Federal de Pernambuco - UFPE), tenho paixão pelo mundo. Busco conhecer a vida em seus mais íntimos aspectos: desde a origem do primeiro ser ao que está se desenvolvendo no imensurável circulo existencial. Prezo pela comunicação afetiva e verdadeira e, através de tais encantos, vivencio a Palavra em seus mais profundos aspectos, isto é, o conhecer e o comunicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas