Que são dos homens sem mestres?

Tardei para repousar nos ombros de um sábio,
O que levou-me a desgastar e adoecer minh’alma miserável
Porque eu não era capaz de ver o Caminho donde partem os bons,
E
 também pela calada dos nossos nupérrimos genitores
Que por sofrença e incultura nunca tornar-se-ão pais.

Categoria: Poesias

Sobre o(a) Autor(a) ()

Estudante de Filosofia (Universidade Federal de Pernambuco - UFPE), tenho paixão pelo mundo. Busco conhecer a vida em seus mais íntimos aspectos: desde a origem do primeiro ser ao que está se desenvolvendo no imensurável circulo existencial. Prezo pela comunicação afetiva e verdadeira e, através de tais encantos, vivencio a Palavra em seus mais profundos aspectos, isto é, o conhecer e o comunicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 5 =

Pular para a barra de ferramentas