Natalia Cruz Sulman

Estudante de Filosofia (Universidade Federal de Pernambuco - UFPE), tenho paixão pelo mundo. Busco conhecer a vida em seus mais íntimos aspectos: desde a origem do primeiro ser ao que está se desenvolvendo no imensurável circulo existencial. Prezo pela comunicação afetiva e verdadeira e, através de tais encantos, vivencio a Palavra em seus mais profundos aspectos, isto é, o conhecer e o comunicar.

feed RSS Facebook Site do Autor

Natalia Cruz Sulman: Suas Últimas Postagens

Receitas veganas para tempos de Jejum Ortodoxo ☦

Receitas veganas para tempos de Jejum Ortodoxo ☦

Queijo prato vegatal Ingredientes 3 colheres de sopa purê de mandioca ou mandioquinha, 1 xícara polvilho doce, 1/2 xícara polvilho azedo, 3 colheres de sopa óleo azeite ou creme vegetal, 1 colher de café de sal, 1/2 limão extrair o sumo, 1 colher de chá levedo de cerveja, 1/2 colher de chá açafrão em pó. […]

Continue Lendo

Sonhos

Sonhos

Às vezes eu não sei com o que sonhar, pois este mesmo mundo que se nos apresenta já parece sublime demais para ser verdade E quando eu me perco em suas sombras, que vem, brincam e deixam de ser, elas parecem o Sonho da criação de Deus Porém eu deveria ser capaz de ter meus próprios […]

Continue Lendo

Ciclo

Antes de estar a viver, Estou eu A gestar minha própria vida.

Continue Lendo

Autopistis

Estendida no fim da Travessia Está a maior cruz do agora Travestida de grande credo. É a cruz da fé, Mas da fé que se sonha, Da fé que se imagina como fábulas Dos grandes egos dos filhos de homens. Nós somos as vicissitudes destes homens! Somos nós quem roubamos as endoxas dos antigos, Somos […]

Continue Lendo

Breve nota sobre religião e moral

Nenhuma religião veraz poderá ser moralista, porque se o for, hesitará em religar o homem ao divino, conservando-o porém ligado ao Estado, à nação. Disto não decorre que a religião é amoral ou imoral. Decorre porém que sua ética lhe é como um meio vivo e prático de se converter a Deus.

Continue Lendo

Idealismo como hiperrealismo

Ironicamente, observo, alguns idealistas não são idealistas de partida, mas ao contrário, são hiper-realistas. Contudo, são tão realistas que acabam por apontar a essência das coisas de forma efetiva e real, mas à parte de tudo o que devém. Daí, por buscarem algo incorrigivelmente realista, ou antes por buscarem algo incorrigivelmente hiperrealista, tornam-se teoreticamente idealistas, […]

Continue Lendo

Reflexo

O esboço desenhado nas entranhas; O amor, representado como as feridas impressas na alma; A perda, como o caminho; o mundo, que se torna o rastro Do amado, manifestação do próprio Deus.

Continue Lendo

Olhos fechados

Sinto os fatos em minha cabeça Correndo no papel com tinta preta Sinto a chuva que cai na noite Mas sinto medo de fechar a janela Por onde o orvalho entra Pois sinto ainda mais Que já demais fechei os olhos Para mais e mais fenômenos vividos Eu não aceitei as manhãs de chuva Não aceitei o passar das […]

Continue Lendo

Vulto

“Em ser sou, Em vir a ser me faço vulto“. Foi isto que escrevi em minha mais neoplatônica época; E agora mesmo estava a lembrar disto. Calha que hoje sou estranha ao meu passado, Pois sei que d’alguma maneira eu era sim um vulto, Sendo porém um vulto em letargia.

Continue Lendo

Que são dos homens sem mestres?

Tardei para repousar nos ombros de um sábio, O que levou-me a desgastar e adoecer minh’alma miserável Porque eu não era capaz de ver o Caminho donde partem os bons, E também pela calada dos nossos nupérrimos genitores Que por sofrença e incultura nunca tornar-se-ão pais.

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas