RSSArtes e Letras

Publico

Se o faço, faço-o segundo regras. A partir de agora fico fixo. Esta é a minha imagem pública. Esta é a imagem que de mim projeto enquanto texto. O texto, porque texto, de meu pouco tem; e tão pouco de meu tem que o que de mim tem é ainda menos com o que de […]

Continue Lendo

Filósofos?

“Os poetas místicos são filósofos doentes, / E os filósofos são homens doidos.” (CAEIRO, 1914) Doentes. Homens doentes. Homens. Portanto doidos. Doidos e doentes. Ora vejamos. Os filósofos são homens: disso não deve restar dúvidas. Homens, sim, porque a filosofia de feminino só tem o gênero gramatical: a sua história é a do enamoramento do […]

Continue Lendo

Tempo Perdido

| 17/10/2016 | 0 Comentários

Ofereço ouro ao malogrado e de mim ele pediu o tempo Mas nem a eternidade pagou a conta e de inconfidência roubou-me o espírito. O tempo não para, o tempo não passa o tempo é o interno que apenas dura Achava que de alquimia salvaria a alma mas profano eu era com ouros de puta […]

Continue Lendo

Biciclética

1. Bicicleta como filosofia? Assim me ocorria quando hoje pedalava para casa, reparando como na bicicleta o espaço que me separa entre o lugar para onde me desloco e o refúgio onde por fim volto são por mim conquistados à força do esforço que eu enquanto corpo faço. Verborreia. Mais simples o que digo refaço: […]

Continue Lendo

Ruído

Tão próximo mas tão distante Eis como agora se enuncia o filosofar Se anuncia a mim o seu murmúrio As suas letras Ecoando como um Logos ruidoso Tempos de juventude e filosofia?! Já foram meus e se foram; embora Já não necessito de ti Abandonei-me ao silêncio Já não necessito de ti Mas ainda à […]

Continue Lendo

O problema da tradução à luz de Heidegger e Carlos Nougué

Entre os textos filosóficos é muito difícil, de um idioma ao outro, alcançar uma tradução acabada. Com a tradução costumamos perder muito: o indicativo original; o signo “x” que, i.g., quase perfeitamente se aplica no alemão mas não no português; a linguagem originária do “pai” ou “mãe” da obra. Aliás, antes mesmo de traduzir uma expressão à outra, o […]

Continue Lendo

Acorda, Macac@!

Acorda. Olha para mim enquanto para ti olho: agora. Olha. <olh@ em volta> Que vês? Sê honest@. Aqui? Aqui é texto. Mas olha em volta. Olha para quarto; sala; banheiro. Vê-te contigo em volta. Sem roupas roupas. Sem teorias. Olha. Que vês? Macac@. Não penses. Olha. Vê apenas. Deixa cair o tédio que usas por […]

Continue Lendo

Estragos

Estragos

| 05/10/2016 | 2 Comentários

Mors Ela veio, fez um pequeno estrago e foi embora. E então começa a tragédia prosaica, quando se torna perceptível a manifestação desenfreada do ódio reivindicando o amor, ou melhor, da falta dele, da procura dele. Quando o temos sentimos-nos completos, a vida passa a ter um roteiro cinematográfico e toda monotonia alienante do cotidiano […]

Continue Lendo

É hora d’a filosofia ouvir

É hora d’a filosofia ouvir É momento d’o filósofo sentir E não mais ser o Sr. sentado no gabinete. Não há mais espaço Para que o filósofo seja senhor de si, Agora há muitas outras forças; Como a d’o senhorzinho que cozinha alface, D’a virtude de quem larga o cigarro, D’a determinação de um santo. […]

Continue Lendo

Estou

Vivendo na angústia dos que foram alienados No mundo onde todo conhecimento é ferramenta E toda filosofia tem um pouco de corpo e poder . Andando sobre as estradas sem sal e sem mar De quem percorre o caminho pelo soldo dos donos Que compraram suas terras mercando o testamento de Adão Não encontrei um homem sequer […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas