RSSBiofilosofia

Por que o sexo na existência humana é humano

Defendo que é uma posição mui ingênua argumentar ser a sexualidade humana eminentemente animal pois antes de tudo falar do sexo humano não é falar do sexo do ponto de vista filogênico mas todavia ôntico – e é certo que a ontogênese (história biológica do indivíduo) não é igual à filogênese (história evolutiva da espécie) bem como a sexualidade ôntica não […]

Continue Lendo

A Arché dos sexos

A Arché dos sexos

Desde a origem da vida biológica na Terra estima-se que cerca de 90% das espécies existentes no globo tenham se extinguido devido a tantas mudanças ambientais, e a própria “morte” desses seres têm fornecido formas de sobrevivência a todos os outros que sobreviveram e seus materiais genéticos ajudado em certo grau ao surgimento de novas […]

Continue Lendo

A reprodução e sua ligação com a mortalidade

A reprodução e sua ligação com a mortalidade

Você já imaginou alguém associando intimamente a reprodução, seja ela assexuada ou sexuada, com a morte? Assim fez George Bataille ao conceber a essência dos seres gerados como uma mudança inquietante. Ninguém explicaria melhor essa relação que Bataille ele mesmo, por isso reproduzirei abaixo suas palavras. Na reprodução assexuada, o ser simples que é a célula divide-se […]

Continue Lendo

A biologia aristotélica

Desde a Academia platônica já eram feitas classificações sobre os animais e plantas em gênero e espécie, todavia somente no Liceu a biologia se tornou um objeto de estudo sistemático. As obras aristotélicas cujo tema é a physis tratam-na amplamente; enquanto o conhecimento astronômico é nobre e distante, o estudo dos corruptíveis, isto é, das plantas e dos […]

Continue Lendo

De Anaximandro a Charles Darwin

De Anaximandro a Charles Darwin

Charles Darwin, na descrição histórica de sua principal obra, A Origem das Espécies, explica o longo caminho percorrido pela teoria evolucionista. Alguns naturalistas acreditavam que as espécies eram produções imutáveis criadas de forma separada. Mas outros viam que as espécies sofriam uma modificação e que as formas de vida existentes eram descendentes por gerações preexistentes […]

Continue Lendo

O que é Ciência para o biofilósofo S. J. Gould

O que é Ciência para o biofilósofo S. J. Gould

Não há nada nos fenômenos, e não pode haver, que indique um início ali, não mais do que acolá, ou, na verdade, em qualquer lugar que seja. O início, como fato, devo saber por meio de testemunho; não tenho meio algum de inferi-lo a partir dos fenômenos. (P. H. Gosse, Omphalos, p. 353) A tese […]

Continue Lendo

A percepção darwiniana sobre o belo

A percepção darwiniana sobre o belo

Analisando as dificuldades de suas teorias (A origem das espécies, cap. VI), Charles Darwin chega a uma indagação: o quanto sua doutrina utilitarista seria verdadeira? O naturalista britânico segue com um levantamento filosófico: os detalhes da estrutura dos organismos foram produzidos para o bem de seu possuidor (evolução), para satisfazer a beleza do Criador/criatura ou pela […]

Continue Lendo

Uma tentativa de desatar o nó geológico

Nesta reportagem explicarei melhor o que anteriormente havia citado a respeito do Procronismo de P. Henry Gosse (1810-1888), biólogo britânico contemporâneo de Charles Darwin. Gosse, como cristão devoto, ficou preocupado com a evidência geológica que parecia favorecer longas eras e mudanças evolucionárias, sentindo-se compelido a prover uma explicação racional para essa desconcertante evidência. Assim, em […]

Continue Lendo

Primeiras formas de vida teriam surgido a partir de moléculas orgânicas

Primeiras formas de vida teriam surgido a partir de moléculas orgânicas

As atuais teorias cientificas experienciaram como moléculas orgânicas (substâncias químicas que contêm na sua estrutura Carbono e Hidrogênio), formadas pela ação de relâmpagos, chuva e energia solar sobre os gases do ambiente, acumularam-se nos oceanos. Notou-se que essas moléculas têm a tendência de se agrupar – motivo pelo qual provavelmente estes grupos adquiriram a forma […]

Continue Lendo

A energia da vida

A energia da vida

Certa vez escreveu Albert Szent-Gyorgyi[1]: “o que guia a vida é… um pequeno fluxo, mantido pela luz do sol”. Muito possivelmente isso bem se aplica à vida já criada, emanada ou, para os não-essencialistas, surgida acidentalmente. Independentemente do juízo a respeito do surgimento da vida, é bastante aparente o quanto a luz do sol é […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas