RSSEspiritualidade

Ensinamentos do curso de Kabbalah com o Rabino Joseph Saltoun

O seguinte texto condiz com anotações redigidas no curso de Introdução à Kabbalah ministrado pelo Rabino Joseph Saltoun em Recife nos dias 26, 27 e 28 de outubro de 2015. Tal escrito não reproduz todas as interpretação cabalísticas, mas apenas a apresentada por esse estudioso da cabalá e da teosofia religiosa. O FiloVida reproduz seu conteúdo de forma expositiva embora não esteja vinculado […]

Continue Lendo

Laboratório de Filosofia Antiga: Plotino, Enéada III.8 [30]

Comprometi-me a apresentar no Laboratório de Filosofia Antiga o pensamento de Plotino, razão pela qual meus pensamentos voltaram a se debruçar diante de tão curioso filósofo. Por dias pensei repetidas vezes no que poderia ser dito acerca de um sapiente neoplatônico tal como foi Plotino. A respeito de quê poderei discursar?, pensei. Falar de Plotino não é tarefa fácil, quem o […]

Continue Lendo

As inquietações humanas representadas na arte de Bosch

As inquietações humanas representadas na arte de Bosch

A arte sempre foi um meio para a conscientização das idéias e dos interesses mais nobres do espírito. Foi nas obras artísticas que os povos depuseram as concepções mais altas, onde as exprimiram e as conscientizaram, disse Hegel. A filosofia hegeliana mostra a arte como uma forma de linguagem humana que nos propicia a decifrar os segredos dos povos […]

Continue Lendo

O Iluminismo judaico e a Haskalá na filosofia Mendelssohniana

O Iluminismo judaico e a Haskalá na filosofia Mendelssohniana

Notável tanto na filosofia do Iluminismo alemão como na do judaísmo, Moisés Mendelssohn (1729-1786) foi o primeiro filósofo judeu moderno. A princípio Mendelssohn não aspirava construir uma teoria filosófica do judaísmo, ou seja, seu principal intento não era justificar racionalmente a fé de seus antepassados como faziam muitos pensadores medievais, todavia seu pensamento acaba por levá-lo […]

Continue Lendo

Cidadania hebraica e o monoteísmo ético judaico

Cidadania hebraica e o monoteísmo ético judaico

Eu aborreço e desprezo as vossas festas; e vossas assembleias solenes não me dão prazer. Se vós me oferecerdes holocaustos e presentes, não os aceitarei; e não porei os olhos nas vítimas gordas que ofertares, em cumprimento de vossos atos. Aparta de mim o ruído dos teus cânticos; eu não ouvirei as melodias de tua […]

Continue Lendo

Universalidade e sua consequência perante a fé individual

Universalidade e sua consequência perante a fé individual

| 01/10/2015 | 0 Comentários

O seguinte texto condiz com a asserção de seu autor, não estando vinculado à concepção do FiloVida. O Blog reproduz seu conteúdo sendo cunhado por valores e princípios democráticos que incluem o direito de expressão estipulado no artigo 5° IV da Constituição – É livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato. Desde a antiguidade muita energia foi […]

Continue Lendo

As quatro Virtudes Cardeais

As quatro Virtudes Cardeais

Existem no Cristianismo quatro virtudes cardeais (ou cardinais) que polarizam todas as outras virtudes humanas. Este conceito, originado em Platão, foi adaptado por pensadores da Igreja como Santo Ambrósio, Santo Agostinho e São Tomás de Aquino. A virtude platônica passa por diferentes fases, todas elas bem apresentadas por Zoraida M. L. Feitosa na tese A Questão da Unidade e do […]

Continue Lendo

As Tábuas de Carne

Evidentemente, sois uma carta de Cristo, entregue ao nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito de Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, nos corações (2 Cor. 3,3). Assim S. Paulo faz uma analogia entre as leis ressaltando as duas Alianças: a Aliança Antiga, escrita em tábuas […]

Continue Lendo

A felicidade no Livre Arbítrio Agostiniano

A felicidade no Livre Arbítrio Agostiniano

A Vida Feliz (386 d.C.) é evidentemente a obra de Santo Agostinho mais conhecida acerca da felicidade. Todavia o filósofo de Hipona está sempre retomando o conteúdo nela expresso por pensar ser o caminho para a virtude, impreterivelmente presente na vida cristã, também a passagem para a felicidade. Felicitar-se é uma determinação da boa vontade, sendo essa principiada pelo Livre Arbítrio (395 d.C.). É a vontade que pode […]

Continue Lendo

Nota sobre a concepção cristo-platônica do Bem

É comum atribuir características antropomórficas à concepção cristo-platônica do divino. Essa temática já foi tratada por Platão; além de todo o Logos e de toda a alma estaria o puro Um, como o Bem da República além de toda substância. Tal Bem, assim como o Um de Parmênides, é uma unidade não-discursiva que simplesmente é, […]

Continue Lendo

Pular para a barra de ferramentas